sexta-feira, julho 31, 2009

Ciclo de Palestras Filosofia e Cinema começa dia 13 de agosto


30/07/2009 21:58
Ciclo de Palestras Filosofia e Cinema começa dia 13 de agosto

MACAÉ [ ABN NEWS ] - Nesse ano da França no Brasil, Macaé se orgulha de estar na linha de ponta do pensamento contemporâneo, trazendo, através do Centro de Estudos Claudio Ulpiano (CCLULP), a segunda edição do Ciclo de Palestras intitulado “Filosofia e Cinema”, que tem por base o acervo de aulas deixado pelo pensador macaense Cláudio Ulpiano, responsável pela introdução do estudo da obra do grande filósofo francês Gilles Deleuze em nosso país e seu principal divulgador.

Em sua edição de 2009, o Ciclo de Palestras “Filosofia e Cinema” terá duas apresentações mensais, totalizando oito palestras e oito filmes, que terão início no dia 13 agosto. O local das apresentações será o auditório da Cidade Universitária da Secretaria Municipal de Educação, que fica na Rua Aluísio da Silva Gomes, 50, Granja dos Cavaleiros. A entrada é franca. Na última palestra, programada para o dia 26 de novembro, haverá entrega dos certificados aos participantes.

No ano passado, o CCLULP promoveu o Ciclo de Palestras "Filosofia e Cinema", em parceria com a Secretaria Executiva de Acervo e Patrimônio Histórico (Semaph), no Solar dos Mellos, onde uma vez por mês, com entrada gratuita, foi apresentado um conjunto de filmes e palestras ministradas por antigos alunos do filósofo macaense Cláudio Ulpiano. A sede do CCLULP, em Macaé, foi inaugurada no dia 19 de junho, na Rua Marechal Deodoro, 306, sala 101 do Edifício Aimée Borges Chaloub, no Centro. Os interessados em Filosofia e Arte podem fazer pesquisas, através do site http://www.claudioulpiano.org.br/.

Duas das importantes obras de Gilles Deleuze, “A imagem-movimento” e “A imagem-tempo”, intensamente trabalhadas por Ulpiano em suas aulas, são o tema da segunda edição do evento. - Ao falar de filosofia e cinema, estamos falando de movimento e de tempo, duas questões que atravessam a física, que atravessam a filosofia e atravessam a arte, mas que, sobretudo, atravessam a vida: a vida é essencialmente movimento e tempo. A invenção do cinema não foi simplesmente a aparição de uma nova arte. Mais do que isso, a criação de uma nova atitude humana, que é a causa, a base, a possibilidade dessa arte. Citando Bela Balázs: “Sob os nossos olhos, formou-se uma nova técnica de ver e de mostrar, uma técnica espiritual, de compreensão e de expressão, totalmente adequada a nós...”, disse a presidente do CCLULP, Silvia Ulpiano.

FONTE: ABN

Um comentário:

  1. Estive lá e leio Deleuze.
    E tu, onde estás?

    Beijos.

    ResponderExcluir