quinta-feira, maio 08, 2008

LÁPIDE - Agostina Akemi Sasaoka

Agostina Akemi Sasaoka
LÁPIDE
No tumulto do meu corpo,
no tumulto do seu túmulo,
vejo crescer a sombra do mal.
O sol desce
enquanto o ar envelhece.
Toda a Terra se voltou
à espera da dor.
Os lábios na laje,
o abraço inerte...
A tarde não cairá.
Entre as pedras
dos meus olhos,
encontro seu aceno.
As andorinhas voam
como pernilongos alegres.
Perdi as cores.
Agora, toda a paixão
é essa poeira fina
que invade o céu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário